Theatro São Pedro - Porto Alegre

BR-TRANS, peça com Silvero Pereira, aclamada no Brasil e em festivais internacionais, encerra sua trajetória em única apresentação dia 08 de dezembro no Theatro São Pedro

Espetáculo estreou há nove anos em Porto Alegre com direção de Jezebel De Carli
Venda de ingressos inicia nesta terça, 30 de novembro

O palco do Theatro São Pedro recebe na quarta-feira, 08 de dezembro, às 21h, a derradeira sessão de BR-TRANS, espetáculo que estreou há nove anos em Porto Alegre, com direção de Jezebel De Carli e estrelado por Silvero Pereira. Depois de ser assistido por mais de 60 mil espectadores e passar por mais de 70 cidades do Brasil, incluindo Alemanha e Estados Unidos, a montagem, idealizada por Silvero, tem como campo temático e narrativo o universo de travestis, transexuais e artistas transformistas brasileiros. A montagem é resultante de um processo de pesquisa cênica desenvolvida através do Edital Interações Estéticas 2012 (FUNARTE/MINC), em residência no SOMOS Pontão de Cultura LGBT (POA/RS), que teve como propósito reafirmar o teatro enquanto instrumento capaz de entreter, promover e fomentar discussões sociais através da arte.
Um processo cênico, antropológico e documental traz à cena histórias de solidão, superação, medo e empatia. Histórias que se encontram e se confundem entre si, com a vida e as inquietações do ator. Recortes de vidas, e vidas recortadas, a partir da pesquisa de Silvero entre conversas pelas ruas e casas de shows do país. BR-TRANS é um trânsito de informações e de fatos reais. Uma BR construída a partir das convergências, divergências e deslocamentos entre os polos Sul e Nordeste do Brasil.
Criado a partir de fragmentos de vidas reais, BR-TRANS versa acerca de histórias presentes no cotidiano de pessoas do universo LGBTQIA+, onde o preconceito e a violência são imperativos. Entretanto, a peça não se restringe somente a episódios tristes, ela exalta casos de empatia e fraternidade, que garantem à obra perpetuar momentos comoventes, de humor e profunda humanização. A peça foi eleita uma das ‘10 melhores peças de 2016’ – pelo jornal O Globo e foi indicada aos prêmios APTR, CesgranRio, Questão de Crítica e Aplauso Brasil, nas categorias melhor espetáculo, dramaturgia, direção e ator.
A diretora Jezebel De Carli teve seu primeiro contato com Silvero através de um amigo em comum, quando estava participando de um festival em Salvador, que contou sobre a pesquisa que o ator estava desenvolvendo, sobre a arte transformista, e que ele estava a procura de um diretor que pudesse ser seu “provocador cênico”. Um manifesto, uma narrativa documental, um teatro depoimento, uma performance transformista, como a diretora costuma descrever. Desde 2013 a peça integra a programação dos mais importantes festivais de teatro do Brasil e do exterior e em 2023 BR-TRANS cruza o oceano para chegar em terras portuguesas, com apresentações previstas para as cidades de Lisboa, Porto, Braga e outras.
“BR-TRANS é um processo artístico-documental que traça os pontos convergentes e divergentes do universo LGBTQI+ brasileiro entre os pólos regionais Nordeste e Sul. Trata-se de um trabalho estético com base nos afetos, nas relações estabelecidas durante a pesquisa e na oportunidade de provocar questionamento, quiçá uma transformação social a partir da quebra de preconceitos por meio da arte”, afirma Silvero.
A sessão, uma realização da Quintal Produções em parceria com a Árido Produtora, tem apoio da Omertà Produtora, e contará com a participação da multiartista Valéria Barcellos.. Os ingressos, com vendas a partir de 30 de novembro, custam entre R$ 100,00 e R$ 40,00. Mais informações, acesse: http://www.teatrosaopedro.com.br/
O que já disse a crítica sobre o espetáculo:
“… Em resumo, há um espetáculo em carne viva, puro nervo pulsante exposto, irradiação de revolta diante da qual não se pode calar. A estreita via social traçada em nossa terra para o universo trans aflora, afinal. Escorraçados desde as primeiras manifestações da sua maneira de ser “diferente”, segregados nas escolas, no trabalho, nas ruas, cerceados nos seus direitos civis, empurrados para a prostituição muitas vezes em condições vis, os transgressores são vítimas de atrocidades inaceitáveis.” – crítica Tânia Brandão (http://foliasteatrais.com.br/br-trans/)
“… O solo BR trans expõe o ser e o artista na pele, sem resignação. Não abdica do humor e da ternura ao refutar firmemente o preconceito e a violência com recursos performativos bem acionados. O principal deles é o canto. Pereira emite timbre de qualidade ao sabor da melodia e dos músculos, da delicadeza e da veemência…” – crítico teatral Valmir Santos
“… Há três anos fazendo crítica de teatro no Rio de Janeiro, assistindo a produções de toda ordem, tamanho e origem nos mais diversos espaços da cidade, eu nunca tinha visto um espetáculo ser aplaudido tão longamente. O horror do preconceito sentido pelos transexuais, de que a peça fala, pode ser sentido em alguma medida por qualquer pessoa por causa de sua raça, religião, peso, formação escolar, origem, etc. “BR-Trans”, porque conecta as mais diversas pessoas, merece mesmo os longos aplausos. Tocante!” – crítico Rodrigo Monteiro
(http://teatrorj.blogspot.com.br/2015/08/br-trans-cers.html)
“…Ator magnífico, senhor absoluto de vastíssimos recursos expressivos e possuidor de enorme carisma, Silvero Pereira mostra-se inteiramente à vontade na dinâmica cênica proposta por Jezebel De Carli, que prioriza a relação direta do ator com a plateia e com os muitos objetos que o rodeiam, sempre trabalhados de forma a valorizar incrivelmente os muitos e diversificados climas emocionais em jogo. Brilhante tanto nas passagens mais dilaceradas quanto naquelas impregnadas de irresistível humor, a encenação de Jezebel De Carli converte-se em poderosa referência da atual temporada teatral.” – crítico teatral Lionel Fisher (http://lionel-fischer.blogspot.com.br/2015/08/teatrocritica-br-trans.html)
Silvero Pereira é ator, dramaturgo e diretor. Fundador do Coletivo As Travestidas (Fortaleza- Ce). No Teatro atuou em mais de 30 peças e circulou por quase todo o território brasileiro além dos EUA e Alemanha. Na TV atuou na novela A Força do Querer, participou do Show dos Famosos do Domingão do Faustão e é mobilizador do Programa Criança Esperança. No cinema, além de vários curtas, atuou em Serra Pelada e, recentemente, em BACURAU, de Kleber Mendonça e Juliano Dorneles, onde interpretou o personagem Lunga. Em 2022 Silvero estará no ar na novela Pantanal, da rede Globo.
Jezebel De Carli é diretora, atriz e professora de teatro da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Mestre e bacharel em teatro pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Fez cursos de aperfeiçoamento com Philipp GAulier, Thomas Leabhart, Luis O. Burnier, Eugenio Barba, Carlo Simioni, Pino di Bubuo, Mateo Belli, Vladimir Granov, Fernanda Montenegro, entre outros. Participou do grupo TEAR, sob a orientação de Maria Helena Lopes. Foi professora por 10 anos do Teatro Escola de Porto Alegre / TEPA e diretora da Santa Estacão Cia de Teatro, onde ficou responsável pelo gerenciamento do projeto Usina das Artes da usina do Gasômetro, entre 2005 e 2013. Concebeu e dirigiu vários espetáculos que foram premiados em categorias melhor espetáculo”, ”melhor direção” e “melhor atuação” na cena nacional, dentre os quais BR Trans/; Parada 400:convém tirar os sapatos; Hotel Fuck: num dia quente a maionese pode te matar; e A Tempestade e os mistérios da ilha.

FICHA TÉCNICA
Direção: Jezebel De Carli
Texto e atuação: Silvero Pereira
Dramaturgia cênica: Jezebel De Carli e Silvero Pereira
Músico em cena: Rodrigo Apolinário
Operador de projeção: Thiago Miyamoto
Operador de luz (local): Ricardo Vivian
Assessoria de Comunicação: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
Realização: Quintal Produções Artísticas
Diretora Geral: Verônica Prates
Coordenadora Artística: Valencia Losada
Produtor executivo: Thiago Miyamoto
Produção local: Árido Produtora
Apoio: Omertà Produtora

ÚLTIMA SESSÃO DE BR-TRANS
Quarta-Feira, 08 de dezembro, 21h
Theatro São Pedro – Praça Marechal Deodoro, s/n
Ingressos à venda a partir de 30 de novembro – lotação da casa 78%
Plateia – R$ 100,00
Camarote Central – R$ 100,00
Camarote Lateral – R$ 70,00
Galeria – R$ 40,00