Theatro São Pedro - Porto Alegre

Theatro São Pedro retoma Musical Évora

Musical Évora, tradicional projeto de música gratuita nas quartas-feiras, retoma atividades no Theatro São Pedro e Multipalco como mais uma opção cultural da cidade

O projeto se consagra como mais uma oportunidade de apresentações para músicos de estilo erudito, em meio a um cenário onde a classe artística foi muito afetada.

No dia 22 de setembro o Musical Évora retoma suas atividades, todas as quartas-feiras úteis, sempre às 12h30. Com foco em apresentações de música erudita, o primeiro artista desta reestreia do projeto é o cravista Fernando Cordella, com o recital A História do Cravo, que ocorrerá no Foyer Nobre do Theatro São Pedro – instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac). As próximas semanas irão ocorrer na Sala da Música do Multipalco Eva Sopher, local onde ocorria há mais de seis anos. Respeitando todos os protocolos de higiene e distanciamento, desta vez, o limite de público estará restrito a 40% da capacidade de cada espaço (50 lugares no Foyer Nobre e 60 lugares na Sala da Música- para melhor organização, haverá distribuição de senhas a partir das 12h). O Musical Évora tem o patrocínio da Évora Holding Company, realização da Associação Amigos do Theatro São Pedro e produção da Fundação Theatro São Pedro.

O projeto consolidou-se como palco de inúmeros artistas locais, nacionais e internacionais e promete oferecer ao público a mesma qualidade, com excelentes apresentações de diferentes instrumentos e estilos da música erudita. Há mais de 20 anos, o projeto iniciou com o nome de “Música ao meio-dia”, logo após tornou-se “Musical Petropar” e, mais recentemente, “Musical Évora”. Após mais de um ano sem apresentações, por conta da pandemia da Covid-19, os músicos terão mais uma oportunidade de apresentar o seu trabalho ao público, com apresentações gratuitas, todas as quartas-feiras úteis, sempre às 12h30, com duração de aproximadamente 45 minutos.

O programa da reestreia, no dia 22 de setembro, traz obras representativas dos principais autores e contextos da história do cravo, partindo de Frescobaldi, um dos precursores da literatura cravística, percorrendo várias conexões de mestres e discípulos, como Couperin, Bach e Scarlatti, até chegarmos a Händel, em cuja obra se consagra próxima a transição do cravo ao piano.

A estrutura do programa se organiza em blocos cronológicos e nacionais, começando-se com a música italiana, fonte e referência das demais tradições, no final da Renascença, ilustrando o Barroco francês e nele encontrando, com Bach, os parâmetros de transição para a música germânica, consagrada ao cravo. Segue para Scarlatti, contemporâneo de Bach, encerrando o concerto com uma das obras que exploram a virtuosidade e a teatralidade expressiva do instrumento e técnica: a Passacaille em Sol menor, de Händel.

SOBRE FERNANDO CORDELLA

Fernando Cordella é considerado um dos principais cravistas de sua geração na América Latina. É coordenador da Oficina de Música Barroca e da classe de Cravo da Escola Municipal de Música de São Paulo e diretor artístico da Sociedade Bach Brasil.

Recebeu, em São Paulo, o prêmio TOYP JCI como a figura mais expressiva no Brasil, do ano de 2015, na categoria “Êxito Cultural”, e, em 2011 o Prêmio Açorianos como melhor intérprete pelo disco “CRAVOS – de Frescobaldi a Mozart”.

Tem atuado como solista e maestro convidado nas principais orquestras do Brasil e do exterior, em projetos com: Nathalie Stutzmann, Luis Otávio Santos, Peter van Heyghen, Olivia Centurioni, Roman Garrioud, Bart Naessens, Rodolfo Richter, entre outros.

Pianista de formação, Cordella teve sua orientação com Dirce Knijnik e mais tarde na Universidade Federal do Rio Grande Sul, com André Loss. No cravo, Nicolau de Figueiredo foi o seu principal mestre.

PROGRAMA:

GIROLAMO FRESCOBALDI (1583 – 1643)

– Passacagli, Libro Primo, Roma 1637

JEAN-HENRI D’ANGLEBERT (1629 -1691)

Pièces de clavecin. Deuxième Suite

– Prelude non mesuré

FRANÇOIS COUPERIN (1668 – 1733)

Second Livre de Pièces de clavecin. Sixième Ordre, Paris 1716-17

– Les Baricades Mistérieuses

JACQUES DUPHLY (1715 – 1789)

Premier livre de pièces de clavecin. Paris, vers 1744

– Rondeau

MICHEL CORRETTE (1707 – 1795)

– Les Giboulées des mars

JOHANN SEBASTIAN BACH (1685 – 1750)

Suíte francesa Nº 5 em Sol Maior BWV 816, Köthen 1722

– Allemande

– Sarabande

– Gavotte

DOMENICO SCARLATTI (1685 – 1757)

– Sonata em Dó Maior K. 159 (L.104) Madri 1752

GEORG FRIEDRICH HÄNDEL (1685 – 1759)

Suíte Nº 7 em Sol menor, HWV 432, Londres 1720

– Passacaille em Sol menor

————

SERVIÇO

MUSICAL ÉVORA

com Fernando Cordella (cravo)

Dia 22 de setembro (quarta-feira), 12h30

Foyer Nobre do Theatro São Pedro

Aberto com 40% da capacidade de público (50 pessoas)

Distribuição de senhas a partir das 12h

Entrada Franca

————

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Diego da Maia

(51) 984309296

Estagiária de Comunicação

Maria Fernanda Luchsinger

Imprensa.tsp@gmail.com