Theatro São Pedro - Porto Alegre

Vem aí o álbum de Izolino Nascimento, um dos pilares do samba no RS

Após 50 anos dedicados ao samba, o artista lança seu primeiro disco, ‘Bons Momentos’, dia 17 de outubro no Theatro São Pedro

Aos 76 anos o cantor e compositor Nêgo Izolino lança seu primeiro álbum com músicas autorais. O show de lançamento de “Bons Momentos” acontece no dia 17 de outubro, às 20h, no Theatro São Pedro, em Porto Alegre. Autor de mais de 150 composições, muitas gravadas por escolas de samba e intérpretes de Porto Alegre e Região Metropolitana, o sambista é conhecido e reverenciado em rodas de samba. Após acalentar por décadas o sonho de imortalizar sua obra, Izolino sobe ao palco do Theatro para provar que nunca é tarde para concretizar sonhos. A produção do disco é uma construção coletiva independente e conta com a participação de intérpretes e instrumentistas reconhecidos da cena musical do RS, que emprestaram o seu talento para compor as 16 faixas musicais. No show de lançamento será apresentado um regional constituído pelos maiores sambistas da noite Porto-alegrense, uma camerata de cordas, metais, coral, piano, bateria e regência do Maestro João Fernando Azambuja de Araújo, unindo o popular e o clássico.

A direção geral deste projeto é da jazzista Marguerite Silva Santos (Concerto Ébano e Marfim), que apostou desde o início no sonho de Izolino. A partir daí, a produtora cultural uniu esforços com o advogado Cesio Sandoval Peixoto (Estúdio Santana) que se propôs a contribuir para viabilizar o projeto. O advogado ofereceu suporte técnico (estúdio e profissional de edição) e tudo o que o projeto necessita para se tornar realidade. A iniciativa foi ganhando força e o engajamento de instrumentistas e intérpretes que se dedicaram ao projeto por quase dois anos. A equipe técnica contou com a produção musical e arranjos de Alemão Charles do Cavaco e do maestro Antônio Guaracy Guimarães, que se ocupou com a parte clássica, unindo uma camerata de cordas, um naipe de metais e um coral. Camilo Nissen foi o técnico de gravação. A regência foi do Maestro João Fernando Azambuja de Araújo.

Mestre Izolino ou Nêgo Izolino, como carinhosamente é chamado, nasceu em Porto Alegre em 1943 e atualmente vive em São Leopoldo. Integrou o grupo O Sambão e foi diretor artístico do conjunto Samba Autêntico. ‘Minha Dor’ é o carro-chefe de suas canções, composta em 1982 em sua mesa de trabalho e aclamada por grandes nomes da música, já falecidos, como João Aruanda, Altair e Moura do Folhetim, que foi o primeiro a cantar esse samba. No carnaval de Porto Alegre, sua carreira começou com a composição de um samba de quadra para a Escola de Samba Acadêmicos da Orgia a convite do Mestre Irajá. Transitou pelas principais Escolas de Samba de Porto Alegre e arredores: Escola de Samba Praiana (1987/9); Império da Zona Norte (1988); Imperatriz Dona Leopoldina (1999) e Império do Sol (2003). Seus zelosos amigos Prof. Luiz Palmeira (violão 7 cordas) e Alemão Charles (Cavaco) são responsáveis pelo “Acervo Musical” do compositor.

O artista que cantou como ninguém o amor teve uma infância difícil. Filho de Vergolina da Silva Nascimento e Luiz Antônio do Nascimento, ainda com tenra idade foi abandonado pela sua mãe e acolhido pelo Asilo Padre Cacique, que outrora se ocupava com a função de cuidar e educar meninos abandonados. Declarou também que não conheceu seu pai e muito pouco tempo conviveu com sua mãe, que tanto adorava. Aos 11 anos foi transferido para o Colégio Agrícola São Miguel, em São Leopoldo, onde os primeiros dons musicais afloraram, quando defendeu em um festival escolar a modinha “Buraco do Tatu”, de sua autoria. Com ela tirou o 1º lugar e como prêmio recebeu meia dúzia de rapadurinhas. Em 1977 entrou definitivamente para a cena musical pelas mãos de seu grande amigo Roxo, carnavalesco já falecido.