Theatro São Pedro - Porto Alegre

Musical Évora recebe Trio Manouche em show que homenageia a cantora Édith Piaf

Na próxima quarta-feira, 12 de setembro, o Musical Évora recebe o Trio Manouche no show “Homenagem a Piaf”. No repertório, sucessos que foram consagrados na voz da célebre cantora francesa Édith Piaf, como “La vie en Rose”, “La foule “, “Hymne à l’amour”, “Non, je ne regrette rien”. A apresentação ocorre na Sala da Música do Multipalco Eva Sopher, às 12h30min, com entrada franca.

O Trio Manouche, formado por Tássia Minuzzo (voz), Matheus Kleber (acordeom), e Felipe Karam (violino), foi criado a partir de um repertório de músicas francesas do século XX, voltado para as décadas de 30, 40, 50 e 60, com a finalidade de explorar na maior parte das canções o jazz manouche ou o gypse jazz.

O Musical Évora é uma realização da Associação Amigos do Theatro São Pedro, com o patrocínio da Évora Holding S.A. O projeto proporciona à comunidade apresentações ao vivo, com entrada franca, sempre nas quartas-feiras úteis, trazendo o trabalho de músicos de diferentes regiões do país e do exterior. As apresentações têm em torno de 45 minutos, contemplando diferentes estilos, como erudito, MPB, choro e jazz.

SOBRE OS MÚSICOS

Tássia Minuzzo (voz): É graduada em Licenciatura – Piano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Iniciou projetos na Cena Gaúcha em 2008, com destaque para a música francesa. Como cantora, venceu o Segundo Festival da Canção Francesa, em 2009, com o prêmio – Uma semana em Paris; Atua como intérprete da música popular francesa, da música popular brasileira, da música latino-americana e da música universal em sânscrito (mantras). Realizou diversos espetáculos em torno da música francesa e brasileira em cidades do interior do Rio Grande do Sul e, também, no Rio de Janeiro. Em 2018, foi solista da Orquestra de Câmara da ULBRA, cantando obras de Michel Legrand.

Matheus Kleber (acordeom): É um dos expoentes da nova geração na música instrumental porto alegrense. Nasceu na cidade de Montenegro, onde começou seus estudos musicais na FUNDARTE. Posteriormente, em 2006, radicou-se na capital gaúcha, onde terminou sua graduação em composição pela UFRGS, tendo como orientador o professor Antônio Carlos Borges Cunha. Ao lado do músico Pedro Franco, lança o álbum “Ida”, seu primeiro trabalho com composições próprias. O disco recebeu cinco indicações ao Prêmio Açorianos, um dos mais importantes do Sul do país. Além de pianista e acordeonista, Matheus é regente do Conjunto Instrumental Jovem da Fundação Municipal de Artes de Montenegro, Camerata Montenegro e da Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul.

Felipe Karam (violino): É multi-instrumentista, compositor, performer e educador, com mais de 20 anos de experiência e conhecimentos em música erudita, folclórica, tradicional, world music e gêneros improvisados. Possui bacharelado em violino pela UFRGS e mestrado em Music Performance, com ênfase na aplicação da harmonia e improvisação jazzística na música brasileira, pela “City University London”, sob orientação de Omar Puentes (2012). Desde então, dedica-se na adaptação do violino dentro da música popular brasileira, com base em ritmos tradicionais como choro, samba, milonga e baião. Sua trajetória musical inicia em meados de 1998, com o “Café Acústico”, grupo que durante quatro anos desenvolveu um trabalho sólido e autoral, releituras camerísicas e músicas instrumentais, sendo agraciado nos anos de 1999 e 2000 pelo Prêmio Açorianos de Melhor Grupo de MPB e vencedor do Festival de Música de Porto Alegre em 2000. Atualmente, reside em Porto Alegre e dedica-se ao seu trabalho solo.