Theatro São Pedro - Porto Alegre

Felipe Karam e Flávia Domingues apresentam ”Especial De Sol a Sol” no Musical Évora

Mãe e filho unidos por um mesmo sentimento: o amor à música. O violinista e compositor Felipe Karam e sua mãe, a alaudista Flávia Domingues, são a atração do recital Musical Évora do Theatro São Pedro na próxima quarta-feira, dia 22 de maio, às 12h30min. Acompanhados do pianista Luis Henrique New, eles apresentam o “Especial De Sol a Sol”, uma versão reduzida do repertório do CD, “De Sol a Sol”, lançado em 2018 por Karam, que lhe rendeu duas indicações para o Prêmio Açorianos de Música 2019, na categoria Instrumental (melhor compositor e intérprete). A apresentação ocorre na Sala da Música do Multipalco Eva Sopher. A entrada é franca.

O repertório transita por vários gêneros musicais, como choro, samba, jazz, ritmos regionais, como frevo e baião, composições autorais, entre outros ritmos. O álbum representa a síntese de uma trajetória musical, nacional e internacional, com mais de 20 anos de busca incessante por uma sonoridade própria.

Por sua extensa atividade internacional, o violino de Felipe Karam combina as raízes da música latino-americana com a sonoridade do jazz, resultando no que pode ser chamado de world music, aliado a um toque de virtuosismo, solos improvisados e ousadia.

No seu álbum de estreia, Felipe Karam homenageia o mestre Dominguinhos, relê “Ingênuo”, de Pixinguinha, numa versão exclusiva de violino solo, contempla composições de amigos como “O Forró do Zeu”, de Zeu Azevedo, “Brisa do Mar” de Luiz Morais (violão 7), divulga composições em parceria como “Bom Pra Karam”, com Samuca do Acordeon, e apresenta sua interpretação inédita de compositores consagrados, como Hermeto Pascoal.

Sobre Felipe Karam

Natural de Porto Alegre, Felipe Karam é bacharel em violino pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e mestre em “Music Performance” pela City University of London, sob orientação do violinista cubano Omar Puentes. Tem se dedicado a adaptar o violino para a música popular brasileira, com base em ritmos tradicionais, como choro, samba, chacarera, milonga e baião. Sua trajetória inicia em 1998, com o Café Acústico, grupo agraciado pelo Prêmio Açorianos (Melhor Grupo de MPB – 1999 e 2000) e vencedor do Festival de Música de Porto Alegre.

A partir de 2004, dá início à sua carreira internacional, dividindo-se entre Brasil, Inglaterra e Estados Unidos. As formações de maior relevância artística, com discos, turnês e premiação, foram Pocket Caravan, Grupo Caratinga de Choro e Samba e Brazilian Ensenble (Prêmio Funarte Concertos Didáticos 2012), contratado pela Live Music Now, por seis anos, para realizar mais de 60 concertos e oficinas ao ano, passando por Reino Unido, Oriente Médio e Amazônia brasileira.

Entre os projetos de importância internacional, também se destacam Capital do Samba e Forró Daki Band. Em Porto Alegre, Trio Surdina Pampeano, Choro do Pampa, Camerata Pampeana, de Tasso Bangel (integração e gravação do DVD “Alma Farroupilha”), e Musical Estação Brasil.

Nos últimos anos, foi aceito pelo programa de intercâmbio de professores, recebendo a bolsa Fulbright Scholar in Residence Award, para ministrar a disciplina “História e Apreciação da Música Latino-Americana” no departamento de música do Naugatuck Valley Community College, em Waterbury, Connecticut, EUA, 2016/2017.

Atualmente, reside em Porto Alegre-RS e dedica-se ao seu trabalho solo, violino de cinco cordas, influenciado pela música tradicional do Leste Europeu, gypsy jazz e klesmer, e explora em suas composições a fusão destes ritmos com as raízes brasileiras.