Theatro São Pedro - Porto Alegre

Bibi, uma vida em musical, em setembro no Theatro São Pedro

Um tributo inédito à maior estrela do teatro nacional que esteve em cena por 76 anos

Nos dias 27 (Sex – 21h), 28 (Sáb – 21h) e 29 (Dom – 18h) de setembro, o Theatro São Pedro recebe o espetáculo “Bibi, uma vida em musical” no palco principal.

“Não consigo lembrar de mim fora de um teatro”. É assim que Bibi Ferreira, 96 anos, 76 como atriz, cantora, diretora e produtora, se descrevia. A trajetória pessoal e profissional dessa estrela brasileira só poderia ser contada e celebrada levando para o palco o próprio palco, das companhias de comédia, do teatro de revista, dos grandes musicais e do teatro engajado em que ela atuou.

E assim é BIBI, uma vida em musical, um espetáculo inédito, escrito por Artur Xexéo e Luanna Guimarães, sob direção geral de Tadeu Aguiar, que teve estreia nacional em 5 de janeiro de 2018, no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro.

Apresentado pelo Ministério da Cidadania e Circuito Cultural Bradesco Seguros, através da lei Rouanet, o musical é uma realização da Negri e Tinoco Produções Artísticas [espetáculo “Excepcionalmente Normal” e diversos shows de Thereza Tinoco e Áurea Martins].

A atriz paulistana Amanda Acosta vive Bibi. Ela foi Eliza Doolittle na montagem paulista de “My Fair Lady” de 2006, o mesmo papel que Bibi Ferreira fez na primeira montagem brasileira da peça americana. Amanda foi integrante do Trem da Alegria, de 1988 a 1992, quando o trio se desfez. Atriz de cinema e TV, ela fez no teatro musical “Essa é a nossa Canção”, “Baby, o Musical” e “4Faces do Amor”, todas sob direção de Tadeu Aguiar.

Amanda Acosta venceu quase todos os prêmios de melhor atriz .Mais 17 atores integram o elenco [abaixo].

Em BIBI, uma vida em musical, a história familiar, profissional e amorosa da artista se enredam. A formação em música, dança e línguas estrangeiras foi estimulada pela mãe Aida Izquierdo, bailarina espanhola. A estreia profissional no teatro, aos 19 anos, foi pela mão do pai, o ator Procópio Ferreira, em papel escrito por ele para a filha. Assim, o musical percorre todas as fases da vida de Bibi, da escolha do seu nome, sua preparação para os palcos, os espetáculos musicais como os inesquecíveis “Gota d’Água”, de Paulo Pontes e Chico Buarque, “My Fair Lady”, “Alô Dolly” e “Piaf, a Vida de Uma Estrela da Canção”, seus casamentos, o nascimento da filha única, Tina Ferreira, as viagens para Portugal e Inglaterra a trabalho, a homenagem da escola de samba Viradouro até sua chegada a um teatro da Broadway, aos 90 anos.

Artur Xexéo [“Cartola – O Mundo é um Moinho”, “Eu Não Posso Lembrar Que Te Amei – Dalva e Herivelto”, “Hebe, o Musical”] avalia a importância de Bibi Ferreira na profissionalização do ator no Brasil, em relação ao seu ofício. “Em relação ao teatro musical, ela foi, sem dúvida, a primeira atriz brasileira pronta para o gênero. Antes dela, havia as vedetes de revista, não necessariamente atrizes, diz o coautor do texto.

Sob direção musical de Tony Lucchesi [“60! Década de Arromba – Doc. Musical”, “Eu não posso lembrar que te amei–Dalva e Herivelto”], oito músicos interpretam 33 canções, das quais cinco foram criadas para o espetáculo, letra e música, por Thereza Tinoco [suas composições foram gravadas por Simone, Ney Matogrosso, Lucinha Araújo, entre outros. Sua canção O Viajante foi tema do personagem de Tony Ramos, na novela Baila Comigo, da TV Globo. Compôs para vários infantis, para “Fica Combinado Assim”, de Herval Rossano, e dois números musicais para Bibi in Concert Pop, III, a pedido de Bibi Ferreira].

BIBI, uma vida em musical tem direção geral de Tadeu Aguiar [“Quase Normal”, “Ou tudo ou Nada”, “Essa é a nossa Canção” , “4Faces do Amor”, “Para sempre ABBA”, “Eu não posso lembrar que te amei–Dalva e Herivelto”].

Elenco [ordem alfabética]

Amanda Acosta, { 4 faces do Amor, My Fair Lady}, André Rayol, { Rapsodia o Musical, Radio Nacional- as ondas que conquistaram o Brasil} { André Luiz Odin [“Mamonas – o Musical”, “Alice”],Analu Pimenta { Beatles no Céu de Diamantes, Cole Porter, Pippin} Bel Lima [“60! Década de Arromba – Doc. Musical”], Caio Giovani [“Love Story, o Musical”], Carlos Darzé [“Enlace – A Loja do Ourives”, “Curral Grande”, do Coletivo Ponto Zero], Chris Penna [“Yank – o Musical”, “Beatles num Céu de Diamantes”, “Garota de Ipanema – O Amor é Bossa”, “Chacrinha – O Musical”], Flavia Santana [“Love Story, o Musical”, “Zeca Pagodinho – uma História de Amor ao Samba”], Guilherme Logullo [“Garota de Ipanema – O Amor é Bossa”, “Elis, a Musical”, “Kiss Me, Kate – O Beijo da Megera”], João Telles [“A Peça ao Lado”, “Ubu Rei”, “Godspell”], Julie Duarte [“Rapsódia – O Musical”, “Estúpido Cupido”, infantis “Os Músicos de Bremen”, “A Bela e a Fera”, “Os Saltimbancos”], Leandro Melo [“Yank – O Musical” e “Rio mais Brasil – O Nosso Musical”, “Satã, um Show Para Madame”, solo musical, “Elis, a Musical”, “O Primeiro Musical a Gente nunca Esquece”], Leo Bahia [“Chacrinha – O Musical”, “The Book of Mormon”, “O Mambembe”, “Ponte Golden Gate”, “Gabriela, um Musical”], Luísa Vianna [“Não Vamos Pagar!”, “Gabriela, um Musical”, “The Book of Mormon”], Moira Osório [Chapeuzinho Vermelho – Como Você Nunca Viu, o Musical”], Rosana Penna [“Carrossel, o Musical”, “Nuvem de Lágrimas – o Musical”], Simone Centurione [“Liza por Elas”, “O Som da Motown”, “Como Eliminar seu Chefe” “ Vamp”].

O espetáculo foi sucesso de público e crítica no Rio de Janeiro e em São Paulo, tendo tido 107 indicações a prêmios, fato inédito na história do teatro brasileiro.

Agora seguimos em tournée por 07 ( sete) capitais brasileiras: Salvador, Natal, Fortaleza, Maceió, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife.

CIRCUITO CULTURAL BRADESCO SEGUROS

www.bradescoseguros.com.br/circuito_cultural

Manter uma política de incentivo à cultura é compromisso permanente do Circuito Cultural Bradesco Seguros. Nos últimos anos, o Grupo Bradesco Seguros orgulha-se de ter patrocinado e apoiado projetos nas áreas de música, dança, artes plásticas, teatro, literatura e exposições, além de outras manifestações artísticas.

Dentre as atrações realizadas recentemente, destacam-se os musicais “Mudança de Hábito”, “Chacrinha, O Musical”, “Elis – A Musical”, “A Família Addams”, “O Rei Leão”, “Bem Sertanejo”, “Les Misérables”, “60 – Década de Arromba”, “Cinderella” e “Wicked”, além da “Série Dell’Arte Concertos Internacionais”, “Ballet Zorba, O Grego” e a exposição “Cavaletes de Cristal de Lina Bo Bardi no MASP”.

FICHA TÉCNICA – BIBI, uma vida em musical

Autores Artur Xexéo e Luanna Guimarães
Direção Tadeu Aguiar
Direção musical Tony Lucchesi
Música original Thereza Tinoco

Duração 165 minutos
Indicação Etária 10 anos

Cenário Natalia Lana
Figurino Ney Madeira e Dani Vidal
Coreografia Sueli Guerra
Desenho de luz Rogerio Wiltgen
Desenho de som Gabriel D’Ângelo

Assistência de direção Flavia Rinaldi
Assistência de coreografia Olivia Vivone
Assistência de direção musical Alexandre Queiroz
Assistência de iluminação Wagner Azevedo

Coordenação Geral de Produção Cláudia Negri
Coordenação de Produção Thereza Tinoco

Direção de Produção Edgard Jordão
Realização Negri e Tinoco Produções Artísticas